Carcinoma oculto de mama: Como descobrir

O câncer de mama é um problema que acomete várias mulheres todos os anos. Mas, uma condição pouco comum que talvez boa parte delas desconheça, mas que também merece atenção é o carcinoma oculto de mama.

Sua principal característica é a presença de tumor unicamente nos linfonodos presentes nas axilas. E a confirmação diagnóstica nestes casos se dá pelo toque nos gânglios axilares, que ficam perceptíveis por estarem com tamanhos aumentados.

E mesmo sendo um carcinoma muito invasivo e pouco aparente em seu estágio início, ele possui cura. Principalmente quando o tratamento é feito de forma precoce e correta.

Pensando nisso, queremos neste artigo falar sobre as formas de descobrir e como tratar o carcinoma de mama. Confira!

Formas de descobrir o carcinoma oculto de mama

Para identificar o carcinoma oculto de mama é necessário passar por uma avaliação clínica. Nela, o médico fará o exame de toque, onde apalpará os linfonodos axilares, que por sua vez podem estar aumentados.

Ressaltamos que nem sempre quando os linfonodos estão aumentados, significa que há câncer. Na maioria das vezes esse aumento se deve em razão de inflamações ou infecções.

Os linfonodos aumentados suspeitos, são aqueles que possuem tamanho maior que 3 cm e são rígidos, e permanecem por tempo maior que 1 mês.

Então, poderão ser identificados através de ultrassom, tomografia, mamografia ou ressonância, após a suspeita do médico que fez a avaliação clínica.

Seguindo na linha de suspeita, então o gânglio necessita ser avaliado, através de biopsia, para verificar se é maligno. Esse exame vai permitir identificar o tipo e extensão do câncer.

O que causa?

O carcinoma oculto de mama é causado pela presença de outros tipos de câncer, como:  tumores gástricos e melanoma. Ele se apresenta como uma complicação secundária, mas super invasiva.

Forma de tratar o carcinoma oculto de mama

Após a confirmação da doença surge a necessidade de realizar o tratamento. A primeira indicação é fazer o tratamento com cirurgia, onde é realizada a retirada dos linfonodos axilares, como se fosse um esvaziamento da axila.

Não é necessário fazer a retirada da mama, porém alguns estudos mostram que há pequenos focos de lesões nas mamas, mas a radioterapia é capaz de corrigir.

Naturalmente, há casos de maior extensão, a partir disso é necessário iniciar o tratamento com quimioterapia, para poder diminuir os agravos da doença e facilitar o tratamento posterior.

Após a cirurgia ainda vai ser necessário realizar um tratamento complementar do carcinoma oculto de mama, mesmo sendo retirados os focos, é necessário usar uma terapia que complementa o tratamento.

Essa terapia é o uso de bloqueadores hormonais, quimioterapia e radioterapia. Ela serve para garantir a eliminação total de focos da doença, que podem ter permanecido, mesmo após a cirurgia.

Agora você já sabe o que é e como tratar o carcinoma oculto de mama. Portanto, procure ficar atenta, porque quanto antes for identificado o problema, maiores serão as chances de cura!

Gostou desse texto? Para outros conteúdos relevantes acesse aqui!