O que é a adenomastectomia?

Há muitas dúvidas sobre o que é a adenomastectomia, as principais diferenças entre este procedimento e a mastectomia total, além das recomendações, riscos e implicações da cirurgia.

Para que fique claro, precisamos entender, primeiro, que a adenomastectomia é um procedimento cirúrgico redutor de riscos, onde a glândula mamária e gorduras são removidos, mantendo a mama e aréola preservados.

Ela é feita sobretudo em casos onde há a necessidade de reconstrução de uma pele livre de tumores. O caso mais emblemático é o da atriz Angelina Jolie, que descreve o procedimento ao qual foi submetida em detalhes para o jornal The New York Times, em 2013, no artigo nomeado “My Medical Choice”.

Se deseja saber mais a respeito, acompanhe o conteúdo e descubra mais sobre a adenomastectomia e como o procedimento é realizado. Confira!!!

Entenda o que é a adenomastectomia

A adenomastectomia é um procedimento cirúrgico onde há a remoção do conteúdo mamário, preservando somente a pele e a aréola. Ela é realizada em casos onde há um pequeno tumor distante da pele e ou quando a pele se encontra livre de tumores, mas há forte uma herança genética.

Diferente da mastectomia, a adenomastectomia é um procedimento preventivo, menos invasivo, recomendado às mulheres que possuem forte fator genético, como os genes BRCA1 ou BRCA2, também em casos de câncer lobular, que pode atingir uma ou ambas as mamas.

A realização do procedimento considera o histórico familiar e deve ser devidamente conversada com o profissional responsável por sua realização, neste caso, um cirurgião ou mastologista.

Pré e pós-operatório da Adenomastectomia

O primeiro passo para a realização da adenomastectomia é a consulta com o cirurgião, que definirá se há uma necessidade real de realização do procedimento. Sendo autorizado, a paciente precisará realizar jejum de oito horas. É preciso, no pré-operatório, evitar o cigarro e a ingestão de bebidas alcoólicas.

Para a realização da adenomastectomia é utilizada anestesia geral (na maioria dos casos), com o uso de bloqueios para reduzir a dor. Após a conclusão da intervenção cirúrgica, o período de internação é de 24 horas, podendo haver exceções.

No pós-operatório, a paciente deve permanecer em repouso por 30 dias, visando evitar edemas, hematomas e seromas (acúmulo de líquidos). Diferente de outros procedimentos realizados na mama, o braço não precisará ficar imóvel durante o período.

Entretanto, não é indicado que se abra o braço em um ângulo superior a 90º. As pacientes não devem, também, carregar peso ou praticar a digitação excessiva.

Os curativos devem ser higienizados diariamente. A limpeza é feita com o uso de sabonetes e água para evitar infecções. Serão prescritos medicamentos analgésicos para o controle da dor.

Riscos da Adenomastectomia

A falta de irrigação sanguínea na pele, principalmente na aréola (ou papila mamária) pode ser problemática, uma vez que os vasos sanguíneos anteriores à cirurgia passavam por esta região.

O risco aumenta em peles pouco espessas. E, no caso oposto, onde há grande espessura do retalho cutâneo ou tecido remanescente, a cirurgia pode demonstrar-se ineficaz.

Considerações finais

Agora que sabe o que é a adenomastectomia, como é o pré e pós-operatório, certifique-se de agendar a consulta com o cirurgião para sanar as dúvidas remanescentes.